Lesões por Esforços Repetitivos, também conhecidas como L. T. C. - Lesões por Traumas Cumulativos são inflamações dos tendões, músculos, nervos e ligamentos, de origem ocupacional, que acometem principalmente os membros superiores, pescoço e região escapular, geralmente curáveis, que causam dor, fadiga, perda de força muscular, inchaço, queda da performance no trabalho e incapacidade temporária.

  • Posto de trabalho inadequado.
  • Atividades no trabalho que exijam força excessiva com as mãos, posturas inadequadas e desfavoráveis às articulações, repetição de um mesmo padrão de movimento e compressão mecânica das estruturas dos membros superiores.
  • Tempo insuficiente para realizar determinado trabalho com as mãos.
  • Jornada dupla ocasionada pelos serviços domésticos.
  • Atividades esportivas que exijam grande esforço dos membros superiores.
  • Identifique tarefas, ferramentas ou situações que causam dolorimento e converse sobre elas com os profissionais da Comissão de Saúde Ocupacional e com sua Chefia.
  • Faça revezamento nas tarefas; procure aprender outras tarefas que exijam outros tipos de movimento. Pausas obrigatórias de 10 min. a cada 50 min. trabalhados, evitando ultrapassar 6 horas de trabalho diário de digitação.
  • Auxilie na identificação das posições incorretas e forçadas no trabalho. Ao mesmo tempo, procure dar sugestões sobre o que fazer.
  • Informe claramente à sua chefia quando o tempo determinado para realizar uma tarefa for reduzido.
  • Diante dos sintomas de dor ou formigamento nos membros superiores, procure os Profissionais do Programa de Saúde UFPR.
  • Procure conhecer os recursos de conforto do seu posto de trabalho.
  • Procure adotar as posturas corretas e evitar as posturas erradas.
  • Utilize a flexibilidade postural: levante-se de tempos em tempos, ande um pouco, espreguice-se, faça movimentos contrários àqueles da tarefa.

Examine as figuras e procure adotar a postura correta, tanto no trabalho quanto em casa.

Sente-se sempre com o quadril no fundo do assento e relaxe o corpo. Tronco apoiado ao encosto e pés apoiados no chão (formando um ângulo de 90 (). Suporte para documento na frente do corpo, facilitando a leitura e evitando trabalhar com o pescoço dobrado. Aproxime a cadeira da mesa de trabalho, observando para que tronco e pescoço não fiquem curvados. Mantenha o material de trabalho disposto a facilitar o manuseio.

Não trabalhe com o punho dobrado
Nem com os braços elevados.
Não permaneça com
os punhos em desvio lateral.


Abra as mãos e encoste as palmas em "posição de rezar". Com os dedos juntos flexione os punhos e comprima uma mão conmtra a outra. (frente do peito)
Aperte dedo contra dedo, alongando-os um por um (polegar contra polegar, indicador contra indicador e assim por diante). Pode ser feito com todos os dedos ao mesmo tempo.
 
Cruze o dedo com dedo (gancho):
polegar compolegar e assim por diante com todos os dedos.
 
Cruze o dedo com dedo (gancho):
polegar compolegar e assim por diante com todos os dedos.
 
Cruze o dedo com dedo (gancho) e puxe alternando-os. Ex.:polegar com médio, anular com mínimo.A variedade fica por conta de cada um.
 
Feche bem as mãos como se estivesse
segurando algo com força.
Estique bem os dedos.
 
Abra os dedos afastando-os o máximo possível. Feche os dedos apertando-os com a mão esticada (ligeiro apoio na mesa)
 
Faça "ondas" com os dedos.
 
Balance as mãos
 
Gire os punhos em círculo,
com as mãos soltas,
no sentido horário e anti-horário.


COMISSAO DE SAUDE OCUPACIONAL l CAC
Dr. Eliane Ribeiro Carmes
Amauri Santos Nascimento
Anete Therezinha Seade
Cássia Roseliane Minatti
Cirlene de Oliveira Pombo Schultz
Hugo Carlos Pedroso
Rosária de Campos Teixeira
Dra. Teresa Cristina Arduini de Medeiros
Eng. Valter Oscar Jentsch
Wilson Giacomelli


UFPR - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

PRHAE - Pró-Reitoria de Recursos Humanos
e Assuntos Estudantis
- Comissão de Saúde Ocupacional